Logout     (38) 98819-6062     contato@serrodoqueijo.com
  Conta
0
  Carrinho
Kit Tradicional

Kit Tradicional


Não disponível

Enviar
Avise-me quando estiver disponível

O Kit Tradicional aposta nos sabores diversificados dos queijos artesanais produzidos por produtores locais da região do Serro.

Pensado para agradar aos diferentes paladares, com o Kit Tradicional é possível "brincar" com os sabores, variando entre os mais suaves para os mais intensos, se tornando uma degustação prazerosa.

Comer cada pedaço e comparar os sabores, além de resgatar aquelas memórias afetivas que somente o queijo artesanal é capaz de nos proporcionar, é uma viagem no tempo e um momento único a ser compartilhado com a família e amigos.

________________________________________________________________________________________________________

Queijo Turvo Grande

Deobaldino Marques faz Queijo Minas Artesanal há mais de 40 anos e é um dos mais experientes produtores de Materlândia. Seu terreno é montanhoso e muito arborizado, habitado por gado mestiço que lhe rende cerca de 30 peças por dia. O queijo é lavado com soro no início da maturação e tem casca amarelo escuro e enrugada, com discreta presença de mofo branco, sutil aroma animal e cativante sabor amendoado. Já a massa, é firme e bem fechada, caracterizada pela baixa acidez e sabor suave, incluindo nota que lembra iogurte.

Avaliação de Eduardo Girão, jornalista e especialista em queijos artesanais.

Premiações:

Medalha de Prata - Mondial du Fromage 2019

Medalha de Prata – III Prêmio Queijo Brasil 2017

 

Medidas aproximadas: 800gr; 13cm diâmetro e 5cm altura.

 


Queijo RP

Por muito tempo, Renato Pimenta vendia só leite para grandes empresas de laticínios, mas de dois anos para cá resolveu voltar a fazer queijo minas artesanal sob encomenda em sua propriedade, que tem grande rebanho girolando e fica no município do Serro. A casca é muito enrugada e coberta de mofo, com ligeira nota animal. A massa, de cor amarelo claro e poucas olhaduras, tem sabor de média intensidade e pouca acidez, incluindo nota que lembra amendoim.

Avaliação de Eduardo Girão, jornalista e especialista em queijos artesanais.

Premiações:

Medalha de Ouro - 1º Concurso Popular Municipal de Queijos Artesanais - 2018

 

Medidas aproximadas: 14 cm diâmetro; 8 cm altura; 750 g

 

Queijo Sô Toní

O Queijo Minas Artesanal Sô Toní nasceu de um desejo do empresário do ramo contábil em SP e agora produtor rural Nonato Santa Rita. Nonato rompeu com suas atividades na capital paulista e, a cerca de três anos retornou às suas origens em Minas Gerais. Apostando no segmento do Queijo Minas Artesanal, investiu em uma queijaria moderna e bem equipada onde produz o queijo Sô Toní. Nome esse, escolhido em homenagem ao seu pai Antônio Santa Rita (conhecido por Toní).

Próximo de completar seus noventa e dois anos de idade, ele produziu a iguaria por mais de 75 anos de forma artesanal com a mesma receita que até hoje é produzido: leite cru, pingo e coalho, conservando a tradição e originalidade do produto. A queijaria adota todos os padrões sanitários exigidos por lei, Certificado pelo IMA e com registro no SISBI, de forma a garantir a segurança do alimento aseus consumidores, além de preservar o meio ambiente e zelar pelos bons tratos aos animais. 

Notas: baixa acidez, casca amarelada e levemente crocante; massa consistente, macia e sem olhaduras. Notas láticas bem ressaltadas que lembram requeijão, creme de leite. Com o tempo de maturação, as notas se tornam mais amendoadas e acastanhadas.

Assim nasceu e é produzido o Queijo Minas Artesanal Sô Toní. Um queijo de sabor marcante, característico da microrregião do Serro/MG.

Premiações:

Medalha de Bronze - Concurso Queijo Brasil - 2019.

Medalha de Ouro - Concurso Regional em 2019.

1º Lugar - Concurso Municipal em Paulistas

 

Medidas aproximadas: 15 cm diâmetro; 6 cm altura; 750g

 


Queijo Serra Do Caroula - Casca Mofada

O Queijo Serra do Caroula, produzido na Fazenda Várzea do Ribeirão, convida a muitas histórias. A produção segue o modo tradicional e recebe toques de arte das mãos do Chef Helen Assunção e de Maria Célia de Ávila Pimenta que fabricam pessoalmente a iguaria. A vontade de produzir queijo veio da Holanda, em uma das muitas viagens pelo mundo que o Chef empreendeu em busca de ingredientes para suas criações. Lá, Helen conheceu uma queijaria que despertou o sonho e inspirou a forma de organização de sua produção. Formado em gastronomia em Londres - onde trabalhou por quase 10 anos como Chef - e executivo Chef do Restaurante East, em São Paulo, Helen escolheu o Serro para cumprir sua inspiração. Dinâmico, racional e definido em suas metas, desta vez a escolha foi por amor. Helen conheceu Maria Célia em 2013, descendente de uma tradicional família produtora de queijo do Serro, e com ela se casou. E aqui começa outra história...

A Serra do Caroula empresta seu nome ao Queijo e inspira a produção, contemplada ao longe da janela da queijaria. A Serra do Caroula conta uma história de devoção a Nossa Senhora das Dores. A Fé católica deu origem a uma capela e cerca de 100 casinholas desabitadas, em seu topo, a 18 km do Serro.

O Queijo se apresenta em duas características:

Casca Lavada, que não permite a formação de fungos. Maturação média de 30 a 40 dias, tem casca amarelo escuro e cativante sabor amanteigado.

Já o casca mofada tem maturação de 30 a 90 dias e casca com mofos brancos. O resultado é um queijo de massa firme, média acidez, sabor intenso, com toque amendoado. 

Um queijo com maturação média de 60 dias, desenvolve na casca um fungo (GEOTRICHUM CANDIDUM) que lhe propicia uma casca crocante, com sabor marcante, massa firme, com baixa acidez e toque amendoado. Um  queijo com um consumo mias propicio para uma degustação gourmet,  na gastronomia e bebidas marcantes como vinhos e cervejas artesanais.

Peso médio de 750 gramas.

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.

    TOPO